Grupos enraivecidos vêm chamando a atenção da opinião pública do Reino Unido por causa de ataques verbais em frente ao parlamento britânico, em Londres.

Nesta segunda-feira, 07/01, dois vídeos “viralizaram” nas redes sociais em que grupos de homens jovens insultam a deputada Anna Soubry, dos Conservadores. Soubry é bastante crítica ao Brexit.

As cenas mostram Soubry cercada pelos ativistas. Embora ela tente manter o controle, alguns tentam impedi-la de entrar na casa parlamentar.

Outro vídeo foi posto no Twitter pelo colunista do jornal The Guardian, Owen Jones, em que ele parece andar pelas ruas ao redor do parlamento sob gritos do mesmo grupo.

Entre os insultos, ambos são chamados de “traidores” e “nazistas”.

Após os incidentes, políticos e personalidades se solidarizaram com os dois, pedindo por menos polarização.

Na tarde desta terça-feira, 08/01, o tablóide Daily Mail noticiou que a rede de TV Sky e a BBC não transmitiram ao vivo do College Green, uma praça em frente às casas do parlamento.

Embora não tenha havido ameaça física nem à deputada nem ao jornalista, a agressividade dos vídeos choca por causa do recente histórico de violência.

Em 2016, a deputada do partido Trabalhista Jo Cox, foi assassinada durante uma visita à sua base eleitoral, no norte da Inglaterra.

Depois o episódio da segunda-feira, embora não tenha sido a primeira vez, Soubry pediu proteção policial em carta à Comissária da Polícia Metropolitana, Cressida Dick. O mesmo foi feito por outros políticos e personalidades. O pedido provocou comoção nas redes sociais.

Recentemente, outros correspondentes da BBC, como a Laura Keussenberg, de economia, também receberam xingamentos nas ruas.

O clima tem sido de acirramento dos ânimos ao passo que a data estabelecida para a saída do País da União Europeia aproxima-se, no dia 29 de março de 2019.

screenshot 2019-01-08 at 21.46.05
O jornalista Owen Jones sofre abuso verbal por parte de manifestantes em frente ao parlamento britânico

Em dezembro, durante a transmissão do voto que julgou a confiança do partido Conservador na Primeira-Ministra Theresa May, grupos de ativistas eram ouvidos em transmissões de TV, nas quais eles entoavam cantos de protestos dos dois lados, pró e anti-Brexit. Esta cena tornou-se comum em transmissões de TV diretamente daquela região.

O tablóide Daily Mail identificou um dos jovens que gritam nos dois vídeos. Trata-se de James Goddard, de 29 anos, residente em Leicester. Ele, que já havia participado de atos com o ícone da direita radical, Tommy Robinson, defendeu-se apelando para o direito de livre expressão.

Sobre os insultos ele alegou que a esquerda também já usou adjetivos como “nazista” sem maiores consequências.

Em entrevista à Sky News nesta terça-feira, 08/01, um representante da New Scotland Yard, entidade de investigação, reafirmou que cada episódio está a ser analisado de maneira independente. O representante disse que investigações são importantes, mas que o direito de manifestação deve existir, sem que haja coerção ou agressão contra políticos ou jornalistas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s