Um número crescente de emigrantes brasileiros vêm virando YouTubers. Eles contam como é a rotina morando fora do país, comentam suas experiências e dão dicas.

O blog Lá Fora fez uma rápida pesquisa e encontrou mais de 300 canais e esse número parece ser bem maior.

A maior parte dos usuários da plataforma é baseada em grandes metrópoles do mundo, como Paris e Londres. Mas há também uma parcela numerosa em destinos da moda como Miami, Lisboa e Dublin.

Dentro dessa pequena amostragem, os canais foram divididos em tipos, de acordo com o que as pessoas falam nos vídeos. Apresento-os na ordem do mais frequente para ao menos frequente.

Embora essa pesquisa não pretenda ter nenhum caráter científico, é possível chegar a um pouco mais de detalhe sobre o esse rico universo.

Alguns são mais profissionais do conteúdo e capricham no layout; outros menos; alguns contam com uma audiência grande, outros publicam eventualmente. Vejamos:

Screenshot 2019-07-22 at 22.11.21

1. “Partiu…”

De fora, a impressão é que a crise econômica brasileira recente fez de quase todo cidadão um potencial emigrante. Isso não é verdade. Mesmo assim,  muitos canais do YouTube refletem essa ansiedade sobre como é morar fora, quem deveria ir e investem em conselhos e incentivos para quem quer vir (respondendo também a perguntas nos comentários).

Screenshot 2019-07-22 at 22.09.31Seja com hipérboles (“morar fora é muito fácil, muito barato”), ou com menos ânimo (“desista”), vários canais dão o passo-a-passo (alguns cobram pra isso, veja abaixo) para quem quer emigrar de forma regular ou irregular.

Embora uma grande parte dos youtubers baseie-se em experiências próprias, outros fazem sua pesquisa e são bem informados sobre o custo de vida e sobre as regras de convivência.

Neste canal, por exemplo, uma youtuber relata o que deu errado no esquema de cidadanias falsas na Itália, em que uma quadrilha emitiu mais de 800 passaportes para brasileiros. Outros vídeos falam sobre como “passar na imigração” em Londres.

Screenshot 2019-07-22 at 22.31.21.png2. A famosa “assessoria”

Muitos desses canais de “conselhos” buscam também anunciar serviços, seja para potenciais emigrantes ou para turistas. Em Portugal, por exemplo, muitos dos youtubers são motoristas particulares e fazem translados; em Londres, muitos são “motoboys”, outros oferecem “assessoria” com documentação e mudança, como nesse vlog chamado “Realidade Inglesa”. Há alguns que possuem até casas e acomodações de aluguel.

Screenshot 2019-07-22 at 22.52.293. “Não caia nessa”

Aqueles que caíram em alguma armadilha, golpe ou se mudaram sem informação suficiente usam seus canais para alertar emigrantes em potencial. Youtubers relatam impressões e desilusões. Invariavelmente, o rol de decepções inclui a alimentação frustrante ou um negócio que não deve ser feito. Em Portugal, Youtubers geralmente queixam-se de como os brasileiros são tratados. Eles também falam de contratos de aluguel com preços escondidos ou multas embutidas, além de diferenças climáticas ou de qualidade de vida (para melhor). Na Itália, muitos se iludem com o burocrático processo de “tirar o passaporte”.

screenshot-2019-07-22-at-22.21.56.png4. Turismo e admiração 

Paisagens, paisagens e paisagens. Especialmente aqueles que acabaram de chegar no novo país, gostam de postar vídeos caminhando na orla de algum lugar ou visitando algum ponto turístico. Em vários vídeos, especialmente os feitos de Portugal, brasileiros se aventuram a mostrar mosteiros, igrejas, praças e outras atrações. Com 64 mil inscritos, um casal de Nottingham exibe carros de marcas famosas (no geral de segunda mão), os quais, segundo eles, não teriam condições de comprar no Brasil. Esse tipo de canal também envolve visitas a shopping-centers e diários “consumistas”.

Screenshot 2019-07-22 at 22.10.445. Orgulho e preconceito

Embora intercâmbio cultural seja um assunto bastante complexo, muitos youtubers adoram falar sobre preconceito e experiência no dia a dia. Muitos queixam-se do tratamento recebido pelos locais, outros falam da comida e de respostas estranhas ouviram.  Há aqueles que denunciam brasileiros que são maus uns com os outros, com histórias de pessoas que reportaram o conterrâneo à polícia. Um youtuber ficou irritado por um comentário ter chamado seu estilo de vida, numa comunidade pacata do interior de Portugal, de “medíocre”. Outro diz que brasileiros são preguiçosos. quando mudam-se para os EUA. A maioria usa o seu canal de YouTube para reafirmar a decisão de ter ido embora, com apenas uma ínfima minoria atualizando seus seguidores sobre potenciais planos de voltar (alguns anunciam isso para atrair pessoas).

Em resumo…

Há um pouco de tudo no YouTube em relação à comunicação diaspórica, ou seja, da diáspora, comunidade brasileira no estrangeiro.

Se antigamente eram as rádios de imigrantes, hoje o YouTube assume essa função de falar para dentro de uma comunidade que está dispersa. Não só de brasileiros, mas de várias outras nacionalidades ou às vezes unindo espectadores lusófonos.

Na verdade, até esse conceito de “comunidade” no YouTube é incerto. Quando muda-se de país, a tendência é que os interesses também mudem,  mas, sobretudo, a Internet faz com que essa informação esteja disponível para qualquer um, de qualquer nacionalidade ou cultura.

Por esses tipos vistos acima, muitos youtubers emigrados buscam mais se afirmar e contar uma história de sucesso que mesmo prestar um serviço.

Ao mesmo tempo, o entendimento de uma realidade é na maioria das vezes relativo e cheio de pormenores pessoais. Mesmo morando num determinado país há muito tempo, vive-se um pedaço pequeno de uma localidade, sem muito acesso aos nativos. Para os brasileiros que assistem a esses vídeos de muito longe, pode-se ter uma impressão errada de um certo país pois os youtubers tendem a generalizar muito.

Numa sociedade tão dividida como a do Brasil, também fica difícil dizer quais desses tipos refletem o que dizem “os brasileiros”.

Como pode-se ver nesses exemplos, há uma enorme quantidade de sotaques, ambições e interesses. Seja como for, é interessante observar esse conteúdo como mais um tipo de entretenimento mais que um modelo de inspiração para mudar de vida. Quantas pessoas são realmente influenciadas a tomar uma decisão por meio desses vídeos? É difícil saber.

De qualquer forma, enquanto a comunidade brasileira no exterior só faz crescer, a tendência é que a diversidade e complexidade desses tipos de vídeos também suba.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.